Coca-cola sabor Fanta!

Atualizado: 1 de out. de 2020

Nas brincadeiras de juventude onde morei, quando queríamos dizer que uma coisa não era bem aquilo que parecia ser, dizíamos: essa Coca é Fanta!


É mais ou menos o que acontece com essa frutinha aí.


Recentemente, recebi a visita de uma pessoa na agência onde trabalho (Adapi – Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Piauí), na cidade de Campo Maior, e fui desafiado a descobrir que planta seria essa, se era comestível etc. Mesmo não sendo uma função da agência (depois explico nossa importância e função), meu ego foi inflado (já decifrei outra planta anteriormente) e fui acionar os “universitários” da época de faculdade, amigos, google e por aí vai.


Já tinha tido contato há uns 20 anos com essa danada, mas não lembrava mais de nada, somente que se tratava de uma cereja e o comentário que uma colega fez, aquele empurrão que todo “bebo” tem pavor ao descer uma ladeira.


Trata-se da Bunchosia armeniaca, popularmente conhecida como cereja silvestre, caferana, ciruela, fruta-manteiga-de-amendoim, falso guaraná, cafezinho dentre outros “apelidos”. Um arbusto que pode alcançar até 4 metros de altura, sabor similar a amendoim cozido, quando bem madura, e sua polpa fica bem delicada, de textura similar à manteiga de amendoim. Considerada uma PANC (Planta Alimentícia Não Convencional), mas, infelizmente, com pouquíssima informação sobre ela. Briga de igual para igual com a laranja no teor de vitamina C (37 mg/100g) e tem alta capacidade antioxidante.


O ponto de colheita é um tom laranja, ficando bem vermelha depois de 3 a 4 dias, igual à cereja (mas nada impede de ser colhida nesse ponto no pé). Pode-se usá-la facilmente na culinária, passando simplesmente no pão como manteiga ou passar numa peneira para extração da polpa, que vira base de molho (similar ao extrato de tomate) muito bom para acompanhar carnes.


A planta pode ser usada como ornamental e sua multiplicação é muito fácil. Basta plantar a semente em local com bastante sol e regar sempre.


Imagens: google imagens e Gustavo Giacon


Fonte: BERTOLIN, C. P. et al. CARACTERIZAÇÃO FÍSICA E FÍSICO-QUÍMICA DA FRUTA EXÓTICA CAFERANA. IX Simpósio de Pesquisa e Inovação. Instituto Federal Sudeste de Minas Gerais, Campus Barbacena. 2018.


*Paulo Melo Segundo é engenheiro agrônomo pela UFRPE, Fiscal Estadual Agropecuário na Adapi e escritor agrodivertido, criando assim o Segundo Agro, um portal de informação simples, direta e humorada.

27 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo