Fuma, Gina!

Desde pequeno sempre me intriguei com um personagem: Gina! Até hoje essa galega estampa a embalagem de uma marca de palitos de dente, que, se for viva, deve ser já uma senhora.


Junto a isso, o que se fala no momento é sobre as queimadas no “pulmão do mundo” e o impacto da fumaça no Brasil e no Mundo. O que isso tem a ver com o texto de hoje? Tudo e nada.


Mas junte as palavras “fumaça” e “gina” e teremos uma palavra amálgama* de um problema muito comum principalmente em jardins, a fumagina.



Trata-se de um fungo muito oportunista e um grande indicativo que a planta está sofrendo com ataque de insetos sugadores, que consomem a seiva da planta. O inseto, depois de tomar seu café da manhã, almoçar, jantar ou se deliciar com seu chá da tarde, vai se esconder “na moita” (na verdade na parte de baixo da folha) para fazer seu n°2. Esse cocozinho é bastante açucarado e vai ficar na parte de cima da folha que estava abaixo “da moita” em que o inseto se escondeu pra fazer seu “trabalho”.



Bem, isso é tudo que o fungo precisa pra começar a se “deliciar” como um urubu na carniça. Vai se alimentando, crescendo e agravando os problemas de saúde da planta. Como? O inseto sugador retira a seiva da planta e injeta toxinas nela. Já a fumagina começa a dificultar ou impedir a fotossíntese da planta, já que recobre toda a folha, prejudicando que ela use os raios do sol em seu processo.


Então, quando observar essa “capa preta” nas folhas, já sabe, tem inseto sugador (cochonilha, pulgão, cigarrinha...) na área e esse tem que ser seu foco de controle.



Uma medida alternativa é usar uma solução de água com detergente para controle desses insetos: Misture 25ml de detergente neutro (o amarelo) de boa qualidade em 1 litro de água e use um borrifador para aplicar sobre os insetos, faça durante o dia para que o detergente lave a camada de cera que age como protetor solar no inseto, causando sua morte por desidratação.


*amálgama = palavra resultante da junção de pares de outras palavras, normalmente construída de forma consciente, resultando de criatividade.


Imagens: Embrapa


*Paulo Melo Segundo é engenheiro agrônomo pela UFRPE, Fiscal Estadual Agropecuário na Adapi e escritor agrodivertido, criando assim o Segundo Agro, um portal de informação simples, direta e humorada.

19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo