Flex Flintstones

Atualizado: 6 de out. de 2020

Ainda hoje tem gente que quando escuta algo do #agro pensa em coisa arcaica, ultrapassada, praticamente jurássica.


Acho que esquecem que os “#flintstones” do agro é que os alimentam, geram muita energia e que jurássico mesmo é o #combustível que eles usam, ao menos a maior parte dele, já que 25% dele é #etanol.


Na década de 1980, o Brasil deu um grande salto no mercado de combustíveis com o programa próálcool, permitindo o lançamento de carros 100% movidos a o combustível derivado da #cana-de-açúcar. Porém apareceram muitos “Freds” que torceram o nariz para essa tecnologia, talvez pelo fato da partida a frio lhe lembrarem os carros do desenho pelo fato de terem de empurrar para pegar no tranco, mas foi um preço pequeno a se pagar pelo avanço tecnológico e abertura de mercado que ocorreu.


Usinas puderam dar saltos de produção, o apelo #sustentável e provado do combustível verde é válido até hoje, já que se pode plantar e produzir o etano, diferente do jurássico e esgotável derivado do #petróleo e pudemos exportar tecnologia, criando um mercado em que dominamos desde os primórdios.


Além de emitir menos gás carbônio (CO2) o #álcool gera mais água como subproduto e o processo fisiológico da cana-de-açúcar "absorver" a fumaça que saiu do escapamento através da #fotossíntese (espero que não tenha dormido nessa aula de biologia). Essa tecnologia já produziu carros muito mais eficientes em queima, um “álcool” aditivado e um elétrico a álcool, acredita nisso?!


Em 2003 surgiu o carro #flex, dando liberdade de escolha de qual combustível abastecer em qualquer proporção da jurássica gasolina e do sustentável etanol, gerando um ar de Jetson ao 100% do tanque com o amarelinho e um pé no chão ao 100% alcoólico a alguns brasileiros.


O setor espera a abertura das usinas poderem vender sua produção aos postos, sem a necessidade de intermediários, podendo trazer mais competitividade e até baratear o preço do litro na bomba.


Mas até quando muitos dos “Jetsons” de hoje irão ver o setor sucroalcooleiro e o agro como “Flintstones”?!


Carro a álcool, vc sempre irá ter um... Yabba Dabba Doo!!!


*Paulo Melo Segundo é engenheiro agrônomo pela UFRPE, Fiscal Estadual Agropecuário na Adapi e escritor agrodivertido, criando assim o Segundo Agro, um portal de informação simples, direta e humorada.

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo